quais-sao-os-riscos-de-fazer-uma-cirurgia-plastica

Quais são os riscos de fazer uma cirurgia plástica?

A cirurgia plástica, como qualquer tipo de cirurgia, apresenta riscos. Os procedimentos podem resultar em complicações de variados tipos, de resultado aquém do esperado, ou mesmo graves problemas de saúde.

Muitas pessoas presumem erroneamente que procedimentos eletivos, como cirurgia plástica, não são tão sérios quanto outros tipos de cirurgia. 

Mas todos os procedimentos cirúrgicos, mesmo os odontológicos, apresentam a possibilidade de complicações graves. 

Além dos riscos gerais da cirurgia, há sempre a possibilidade de surgirem problemas devido à anestesia. 

No artigo abaixo, apresento os principais riscos de fazer uma cirurgia plástica. Siga a leitura e confira!

Riscos da cirurgia plástica

De certa forma, a cirurgia plástica pode ser mais desafiadora do que as convencionais se o paciente não tolerar bem o procedimento. 

Em geral, são realizadas em centros cirúrgicos. Para o paciente que apresenta uma complicação, estar em um hospital pode fazer uma enorme diferença no atendimento.

Abaixo, listo os principais riscos associados à cirurgia plástica:

Resultado cosmético insatisfatório

Este pode ser o maior medo de um paciente de cirurgia plástica: um resultado que não só falha em melhorar a aparência, mas na verdade torna a aparência de uma pessoa pior do que antes da cirurgia.

Cicatriz

Um dos maiores riscos para alcançar um resultado atraente, a cicatriz nem sempre é previsível, mas pode ser controlada na maioria dos casos. 

Os pacientes podem diminuir o risco de cicatrizes mudando hábitos de vida, como não fumar, comer bem após a cirurgia e seguir as instruções do cirurgião durante a recuperação.

Dano do nervo

Em alguns casos, os nervos podem ser danificados ou cortados durante qualquer procedimento cirúrgico. 

O resultado é mais óbvio, entretanto, se for um nervo facial. Quando esses nervos são lesados, o resultado pode ser a incapacidade de fazer expressões faciais ou olhos caídos (ptose) ou boca.

Leia também::: A importância de seguir os cuidados no pós-operatório

Infecção

Todas as cirurgias apresentam risco de infecção. O cuidado adequado da ferida e a lavagem frequente das mãos podem minimizar ou prevenir uma infecção.

Hematoma

Um hematoma é uma coleção de sangue fora de um vaso sanguíneo. Um hematoma pode se desenvolver após a cirurgia. Isso normalmente resulta em uma área que fica inchada e com aparência de hematoma, com uma bolsa de sangue embaixo. 

Em alguns casos, isso é mínimo, mas um hematoma pode ser grande o suficiente para causar dor e até diminuir o fluxo sanguíneo na área. 

No caso de um grande hematoma, o cirurgião pode escolher remover parte do sangue com uma seringa ou outro método semelhante.

Necrose

A morte do tecido pode ser causada por cirurgia ou por problemas que surgem após o procedimento. 

Na maioria dos casos, a necrose é mínima ou completamente ausente e a cicatrização normal da ferida remove qualquer tecido morto da área da incisão.

Sangramento

Como em qualquer procedimento cirúrgico, o sangramento pode e irá ocorrer. O sangramento se torna um problema quando é excessivo ou continua após a cicatrização da ferida. 

O sangramento pós-operatório pode ser um sinal de que o paciente está muito ativo logo após o procedimento. 

Seroma

Um seroma é semelhante a um hematoma: é uma coleção de fluido linfático ao redor do local da lesão. 

Em um seroma, um líquido claro se acumula em uma bolsa perto do local da cirurgia. Se uma grande quantidade de líquido se acumular, o cirurgião pode optar por reduzir a bolsa removendo o líquido com uma seringa. 

Seromas são comuns em procedimentos cosméticos mais invasivos, como abdominoplastia.

Coágulos sanguíneos

Um coágulo sanguíneo é um risco comum em muitos procedimentos, não apenas em cirurgias cosméticas. 

O tipo mais comum é a trombose venosa profunda (TVP), um coágulo que se desenvolve na perna. 

A maioria das TVP requer atenção médica, mas não apresenta risco de vida, a menos que o coágulo comece a se mover pelas veias em direção ao coração e aos pulmões. 

Um coágulo que chega aos pulmões é uma emergência médica e deve ser tratado imediatamente.

Assista também::: Será que é hora de fazer cirurgia plástica?

Como reduzir os riscos

Em qualquer cirurgia, o paciente tem a capacidade de reduzir o risco de complicações. A melhor maneira de reduzir o risco de um resultado ruim é escolher um cirurgião plástico experiente. 

Mudanças no estilo de vida, como parar de fumar, são extremamente importantes antes da cirurgia, pois os não fumantes curam mais rápido e apresentam menos cicatrizes. 

Além disso, uma dieta saudável antes e depois do procedimento pode acelerar a cicatrização, o que também minimiza a formação de cicatrizes.

Espero que tenha gostado do artigo sobre os riscos de fazer uma cirurgia plástica e caso espera interessada em fazer uma, agende uma consulta de avaliação clicando no botão abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.